150 dias de mandato

150 dias de mandato

31/03/2022

Mensagem do presidente da Direcção da ANDDVIS no dia em que se completam 150 dias de mandato.

 

Completamos hoje 150 dias de mandato à frente da ANDDVIS.

Assumimos, no passado 1 de novembro, o compromisso de desenvolver uma estratégia assente no rigor financeiro e na gestão criteriosa de recursos, na construção de um novo ciclo para a ANDDVIS. Fazer mais com menos, numa visão estratégia de qualidade, tem de ser a pauta que marcará o ritmo desta direção.

Considero, de forma absolutamente humilde e transparente, que chegou a hora de prestar contas do trabalho desenvolvido nestes 150 dias.

Desde o dia da tomada de posse tivemos apenas 4 dias para apresentar as candidaturas a projetos do INR e 6 dias para elaborar e apresentar a previsão orçamental e o plano de atividades para 2022. Conscientes de que era já nesses dois actos que deveríamos iniciar a aplicação do nosso cunho, com uma reflexão perante as entidades oficiais daquilo que são as nossas maiores expetativas de desenvolvimento e consolidação para a Associação.

Participamos ativamente no evento oficial do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência;

Restruturamos a comunicação da ANDDVIS;

Reativamos o uso das várias plataformas (Twitter e Instagram);

Criamos o modelo de comunicação direta com a ANDDVIS News e Scorer para as plataformas de Whatsapp e Telegram;

Foram migrados os correios eletrónicos da ANDDVIS para os servidores da Google, evitando assim que muitas das mensagens esbarrassem em firewalls de servidores;

Adquirimos material e iniciamos as transmissões em streaming sem necessidade de recursos externos;

Foi adquirido material áudio que permite o cumprimento do protocolo nos jogos de goalball, assim como servirá de apoio aos nossos diversos eventos;

Junto do INR, apresentamos a candidatura a ONGPD de âmbito nacional;

Apresentamos a candidatura para entidade formadora junto do IPDJ;

Elaboramos e apresentamos um plano de formação para todo o ano 2022, com uma plataforma online para inscrições e pedido de acreditação;

Foram realizadas 7 ações de formação creditadas para treinadores e professores;

Estabelecemos a base com o Comité Paralímpico Africano para a formação nos países africanos de língua portuguesa;

Incentivamos o desenvolvimento desportivo descentralizado, criando oferta para a deficiência visual nos distritos onde não existe;

Nasceram 2 clubes com a oferta de futebol, 1 de goalball e 1 de showdown;

Estabelecemos contactos com a Federação Portuguesa de Xadrez para desenvolvermos em conjunto a modalidade na vertente táctil;

Estabelecemos contactos com a Federação de Musculação e Powerlifting para o desenvolvimento da modalidade para a deficiência visual;

Organizamos 6 jornadas do campeonato nacional de goalball em 5 municípios de 4 distritos diferentes, tendo em alguns deles, realizado ações em colaboração com os municípios;

Honramos o nosso compromisso de iniciar os trabalhos, ainda em 2021 da Seleção Nacional feminina de goalball;

Honramos o compromisso de abrir o caminho para a nossa Seleção Nacional de Futebol;

Apresentamos o plano de preparação das 4 seleções nacionais;

Foram realizados 2 estágios presenciais da Seleção Nacional de goalball Feminina, 2 estágios da Seleção Nacional de futebol e 1 estágio da Seleção Nacional de goalball masculina num total de 15 dias de preparação;

Foram realizados 7 estágios formativos para os atletas integrados nos trabalhos das várias seleções nacionais;

Foram adquiridos diversos materiais e equipamentos para o apetrechamento das nossas Seleções Nacionais;

Formalizamos a participação no IBSA Euro Challenge de Futebol e na SEGL Champions League em goalball como preparação das nossas seleções nacionais;

Foram adquiridas com o apoio do CPP, um conjunto de balizas de goalball em alumínio de fácil montagem;

Implantamos as condições de treino da seleção nacional de futebol com balizas oficiais num campo de relva sintética em Odivelas;

Devolvemos a responsabilidade estatutária ao Conselho de Arbitragem;

Foi negociado com o Conselho de Arbitragem um quadro de entendimento que visa o desenvolvimento da arbitragem em Portugal e as normas de nomeação de árbitros para as competições;

Foram adquiridos equipamentos para arbitragem;

Formalizamos a candidatura ao cartão branco do fair-play tendo sido a mesma aprovada pelo PNED – Plano Nacional de Ética no Desporto;

Não somos os donos da verdade, também tomaremos decisões menos populares, nem sempre compreendidas, mas sempre com a consciência, no momento de as tomar, que é e será a melhor decisão para o futuro da ANDDVIS, no sentido do seu crescimento desportivo e financeiro.

Assim, aproveito para anunciar que irei constituir um conselho estratégico na ANDDVIS. Não se trata de nenhum órgão estatutário, mas sim um conjunto de personalidades com as quais me irei aconselhar nos mais diversos temas, com vista a obter uma perspetiva mais ampla que permita a esta direção decidir com firmeza, ponderação e assertividade.

Jorge Carvalho (ex-Director do IPDJ), Mário Lopes (Ex-Presidente da FPDD), Leonor Moniz Pereira (Catedrática), Artur Penedos (ex-deputado coordenador dos assuntos sociais), Jorge Pina (Embaixador do Plano Nacional da Ética no Desporto), Márcia Ferreira (Dirigente Desportiva), Joana Teixeira (Dirigente Desportiva) e os ex-presidentes da Direção da ANDDVIS, são para já nomes dos conselheiros com quem irei debater temas importantes para o futuro.

Queremos uma ANDDVIS proactiva, voltada para o exterior, afirmando-se no panorama internacional como uma organização de excelência, nas boas práticas inclusivas e organizativas, na qual as entidades possam confiar os principais eventos internacionais, de cariz desportivo e formativo.

Apresentamos a candidatura para a organização do Campeonato da Europa de Goalball da IBSA e estamos igualmente atentos a eventos oficiais de Futebol e Showdown. Aproveitaremos todas as oportunidades e exemplo disso foi a candidatura para a organização do Campeonato do Mundo de Goalball. Avançamos para ganhar.!

Acreditamos que estes grandes eventos serão fundamentais para o crescimento das nossas modalidades e a captação de novos agentes desportivos, nas mais variadas dimensões.

Queremos uma ANDDVIS progressista e inconformada, e não cederemos a injustiças na redistribuição das verbas públicas que mantenham os critérios que têm favorecido sempre os mesmos, sem acautelar o crescimento das demais áreas de deficiência.

Tem, de uma vez por todas, de se adoptar o princípio de equidade, numa verdadeira ética desportiva e de transparência, respeitando todas as áreas de deficiência (muitas delas em novos ciclos governativos) e reduzindo, cada vez mais, as desigualdades financeiras que castram o seu desenvolvimento.

Foi clara posição da tutela sobre qual tem de ser a aposta de Portugal para o desporto na deficiência. Cumpra-se!

 

Contem comigo e com a nossa equipa diretiva.

Contem com uma ANDDVIS Forte!

 

“A única maneira de fazer um trabalho extraordinário é de amares aquilo que fazes. Se ainda não o encontraste, continua a procurar. Não te acomodes. Tal como os assuntos do coração, tu saberás quando é que o encontraste.” – Steve Jobs.